Serra será o dono de sua própria campanha

O candidato a presidente pelo PSDB, José Serra, terá controle absoluto sobre a condução de sua campanha. Ele já demonstrou isso na escolha da equipe, do marqueteiro e até do formato do evento de lançamento marcado para sábado. ¿Ele vai liderar a campanha em todos os aspectos¿, disse o presidente do PSDB, Sérgio Guerra (PE).

Adriano Ceolin, iG Brasília |

Ele próprio foi escolhido por Serra como coordenador-geral da campanha. Guerra, no entanto, tentou mas não conseguiu convencer o candidato a criar um conselho de comunicação para definir as estratégias da campanha. A iniciativa visava submeter o marqueteiro Luiz González ao grupo. Até então, o jornalista enfrentava resistências de setores do partido.

Serra disse ao coordenador-geral que, na prática, o conselho não iria funcionar. O iG apurou que o ex-governador prefere González porque ele discute todas estratégias. Por isso, há integrantes da Executiva do PSDB que afirmam: Serra será o verdadeiro marqueteiro da campanha.

Fora o senador pernambucano, os integrantes do núcleo duro serrista são todos de São Paulo. Isso causou desconforto nas bancadas tucanas do Senado e da Câmara dos Deputados.

Pelo menos três líderes tucanos não gostaram, por exemplo, de ver Xico Graziano, ex-secretário de Meio Ambiente, como um dos integrantes do grupo. Ele não ouviu e não falou com ninguém. Está tudo na cabeça dele, disse um senador tucano.

Alheio às críticas, Graziano não nega sua forte sintonia com Serra. Mas também sou muito ligado ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, disse. É claro que essa força do Serra é mais natural agora do que em 2002, completou.

Coordenador do programa de governo de oito anos atrás mas fora da equipe de Serra este ano, o deputado Luiz Paulo Velloso Lucas (ES) afirma ser natural que as pessoas que estiveram com ele mais recentemente no governo de São Paulo fiquem à frente da equipe.

O deputado afirmou que não poderia integrar o núcleo de campanha porque será candidato a governador no Espírito Santo. Apesar de reconhecer a forte presença dos paulistas, o deputado exalta a presença de Guerra na coordenação-geral.

Ele é o maior líder que surgiu no PSDB desde a morte de Sérgio Motta [ex-ministro das Comunicações e homem forte do governo FHC], disse Velloso Lucas. Segundo ele, Guerra conduziu bem o processo de disputa entre Serra e Aécio Neves pela vaga de candidato. "Não teve racha. O partido está unido", disse.

Há oito anos, o então ministro da Saúde enfrentou mais resistências do que agora. Aliado desde 1994, o PFL (atual DEM) tentou lançar Roseana Sarney (hoje no PMDB). Entre os tucanos, Tasso Jereissati (CE) era o grande adversário.

Ainda na pré-campanha em 2001, Jereissati conquistou uma declaração de apoio de Mário Covas, então governador de São Paulo e um dos líderes históricos do PSDB. Covas morreu de câncer em março daquele ano.

A cúpula do partido que tem dado superpoderes a Serra avalia que a segurança do ex-governador paulista impressiona, diferentemente do que ocorria com Geraldo Alckimin, em 2006, candidato derrotado naquele ano.

Além disso, o estilo do candidato Serra é, no momento, totalmente diferente do da adversária Dilma Rousseff . Apesar de ter sido centralizadora na Casa Civil, como candidata ela tem obedecido às decisões estratégias do PT.

Mais centralizador em 2010, Serra quer evitar os problemas da campanha de 2002, quando perdeu para Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Sem unidade no PSDB, ele teve de aceitar o ex-ministro Pimenta da Veiga (Comunicações) como coordenador.

O mesmo ocorreu no caso do marqueteiro, quando foi imposto a ele o nome de Nizan Guanaes. Publicitário responsável pelas campanhas de Fernando Henrique Cardoso, Nizan teve influencia direta na escolha de Rita Camata (então PMDB-ES) como vice.

No entanto, ao longo da disputa, a condução da campanha acabou nas mãos do então presidente do PSDB, deputado José Aníbal (SP), que tinha total confiança de Serra naquele momento. Atualmente, Aníbal é mais afinado com Alckimin.

Saiba mais sobre eleições 2010

    Leia tudo sobre: eleições 2010josé serraserra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG