O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), participou hoje da inauguração da primeira fábrica pública de medicamentos genéricos, da Fundação para o Remédio Popular (Furp), e não desviou o foco do evento. Ele se recusou, por diversas vezes, a falar sobre qualquer assunto de política nacional, como a eleição de 2010, a crise do Senado e a possível instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras.

"Não vou falar de questão nacional, me desculpa, se não me tira o lide (o assunto principal, no jargão jornalístico)", disse ele, na cidade de Américo Braziliense.

Antes, na capital paulista, o governador participou da entrega do quinto dos 107 novos trens da Companhia do Metropolitano (Metrô) que serão incorporados à frota paulista. Serra foi saudado com aplausos por cerca de cem pessoas presentes ao evento, na estação Paraíso, região sul de São Paulo.

"Estamos fazendo a maior modernização da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e do Metrô da história de São Paulo", disse o governador à plateia. "A questão do conforto (no metrô) é tratada com detalhe." As novas composições têm ar-condicionado, portas mais largas e câmeras de vigilância. Cada uma custou R$ 31,2 milhões. O governador disse considerar o transporte público "o problema mais crítico da Grande São Paulo". "Andar em São Paulo de carro é quase impossível", afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.