Fiel da balança nas eleições deste ano, Minas Gerais recebe nesta segunda-feira o pré-candidato à presidência do PSDB, José Serra, com um misto de desconfiança e cobranças para que o Estado volte a ocupar um espaço de protagonismo nacional." / Fiel da balança nas eleições deste ano, Minas Gerais recebe nesta segunda-feira o pré-candidato à presidência do PSDB, José Serra, com um misto de desconfiança e cobranças para que o Estado volte a ocupar um espaço de protagonismo nacional." /

Serra promete obras para desfazer mal estar com mineiros

http://images.ig.com.br/ult_us/selo_eleicoes.jpg align=leftFiel da balança nas eleições deste ano, Minas Gerais recebe nesta segunda-feira o pré-candidato à presidência do PSDB, José Serra, com um misto de desconfiança e cobranças para que o Estado volte a ocupar um espaço de protagonismo nacional.

Adriano Ceolin, iG Brasília |

O comando da campanha tucana estabeleceu como uma de suas principais tarefas acabar com a frustração causada pela desistência de Aécio Neves em disputar o Palácio do Planalto. Para isso, Serra tentará convencer os mineiros de que ele promoverá mais obras no Estado do que o governo Lula conseguiu.

O primeiro evento de Serra na capital Belo Horizonte será na sede da Federação das Indústrias de Minas Gerais. O tucano tem o roteiro exato para convencer os empresários: exaltar as obras de Aécio e se comprometer a resolver os gargalos de infraestrutura no Estado que precisam de ajuda federal. Nesse sentido, Serra deverá abordar a duplicação da rodovia BR 381, que liga Belo Horizonte ao Vale do Aço (região onde se concentram as indústrias de mineração do Estado).

Ao falar da rodovia, Serra tentará apontar a administração petista como ineficiente. A obra está prevista no PAC (Plano de Aceleração do Crescimento), mas ainda não teve seu projeto executivo pronto. Lançada em 2007, a iniciativa é uma das principais bandeiras de campanha da ex-ministra Dilma Rousseff, pré-candidata do PT. A rodovia foi orçada em R$ 2 bilhões. Contudo até agora só foram liberados R$ 50 milhões, segundo dados do Siafi (Sistema que acompanha os gastos federais).

Todos sabemos que a BR-381 é um problema para o setor produtivo, disse o deputado mineiro Nárcio Rodrigues (PSDB), um dos coordenadores do encontro na Fiemg. Outra obsessão dos mineiros é a continuidade das obras do metrô de Belo Horizonte. Desde 2004, o governo Lula não repassa verbas para ampliação da linha 2. A construção de um novo terminal no aeroporto de Confins também está entre as reivindicações. 

Evento político

Na parte da tarde, Serra terá uma agenda política. Nárcio e o deputado Rodrigo de Castro - que é também secretário-geral do PSDB_ - organizaram um evento cujo objetivo é levar pelo menos 150 prefeitos e lideranças políticas mineiras. O coordenador-geral da campanha de Serra, senador Sérgio Guerra (PE), está mais otimista. Segundo informações que me passaram, podemos ter a participação de 300 pessoas, disse.

Para a cúpula do PSDB, o evento será a primeira prova concreta de que Aécio liderará seu grupo político em favor de Serra e do seu candidato ao governo, Antonio Anastasia (PSDB) - vice que assumiu o cargo e disputará a reeleição. Até por isso o evento é chamado de Minas é Serra e Anastasia. No encontro, o candidato tucano a presidente terá de elogiar as ações de Aécio no governo de Minas e ressaltar importância dele como liderança nacional.

Por ora, o assunto da candidatura a vice deve ser ignorado. Ainda tem muita frustração em relação a isso, admitiu o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG). Apesar dos apelos para que Aécio componha chapa com Serra, a cúpula tucana e os demais presidentes aliados só tratam do assunto nos bastidores. A esperança é que Aécio mude de ideia - desista do Senado e seja o candidato a vice - até o fim de junho, prazo final para composição das chapas.

De Minas ao Planalto

Lideranças do PSDB apostam que uma vitória em Minas garante a chegada de Serra ao Planalto, mesmo que o candidato não saia vitorioso no Nordeste. Para a conta fechar, é preciso que o tucano se saia muito bem no Sul e no restante do Sudeste. Principalmente em São Paulo, Estado de origem de Serra. Contudo, vencer em Minas não é uma tarefa fácil. Nas duas últimas eleições presidenciais (2002 e 2006), os tucanos foram superados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com mais de 65% dos votos.

O curioso é que nas duas últimas disputas o candidato tucano no Estado saiu vitorioso no primeiro turno. Chamado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso como futuro do Brasil, Aécio Neves venceu o governo do Estado com 58%, em 2002, e 73,5%, em 2006. Para este ano, planejava concorrer à presidência mas acabou preterido por Serra. Apesar dos apelos para ser o vice na chapa, Aécio diz que é candidato ao Senado. Por isso, está nas mãos dele a eleição de Serra.

Se no passado Aécio foi acusado de fazer corpo-mole para os candidatos tucanos a presidente em Minas, agora o PSDB acredita que o ex-governador irá se empenhar. Apontam o fato de o próprio Aécio ter pedido a Serra para começar sua pré-campanha por Minas. O convite foi feito publicamente, durante discurso no lançamento de Serra em Brasília sábado passado. Aécio fez questão de criticar o PT e o governo Lula, com quem manteve boa relação nos últimos anos.

Leia mais sobre:  eleições 2010


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG