Às vésperas de deixar o governo de São Paulo e com grandes obras a inaugurar nesses últimos dez dias, o presidenciável José Serra (PSDB) disse nesta terça que não fez promessas sobre a data de entrega das obras do Plano de Expansão SP, para ampliação da malha metroviária do Estado. Apesar de as datas terem sido divulgadas em material publicitário do metrô, em cartazes, pôsteres e propagandas de televisão, o tucano afirmou: Não houve promessas, houve metas.

O governador não respondeu se as "metas" serão cumpridas até o final de seu governo, em dezembro. Serra deixará o cargo até 3 de abril, prazo estabelecido na legislação eleitoral para se desincompatibilizar, para concorrer à Presidência da República. O Plano de Expansão será uma das bandeiras da campanha do tucano.

Reportagem publicada na edição de hoje do jornal Folha de S.Paulo informa que há atraso nas obras de três das cinco linhas inclusas no Plano de Expansão. Das 28 estações anunciadas em propagandas do governo paulista, 6 atrasariam. Os projetos do metrô leve de São Judas ao Aeroporto de Congonhas e da construção da Linha 6-Laranja nem sequer foram licitados. Questionado sobre os dados, Serra, antes de encerrar a entrevista coletiva, repetiu três vezes: "Não há atraso."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.