Serra evita comentar pesquisa eleitoral em inauguração

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), inaugurou hoje as obras de prolongamento da Linha 2-Verde da Companhia do Metropolitano (Metrô) até o bairro de Cidade Tiradentes, no extremo leste da capital paulista, e evitou a todo custo falar sobre política durante a cerimônia. Pesquisa CNT/Sensus divulgada hoje sobre as eleições presidenciais de 2010 revela que as intenções de voto para o governador, um dos principais nomes do PSDB na disputa, caíram nas simulações para primeiro e segundo turno, enquanto que sua principal adversária, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, do PT, teve aumento nas intenções de voto.

Agência Estado |

Serra não quis comentar o resultado da última edição da pesquisa da CNT/Sensus. O levantamento mostra que as intenções de votos para o governador nas eleições à Presidência da República caíram 15 pontos porcentuais, para 31,8%. Em dezembro de 2008, Serra tinha 46,5% das intenções de voto na mesma pesquisa. A pré-candidata do PT à sucessão no Palácio do Planalto, a ministra Dilma Rousseff, que tinha 10,4% das intenções de voto em dezembro do ano passado, tem agora 21,7%.

Em seu discurso sobre a obra, Serra enalteceu a parceria entre o Estado e a Prefeitura da capital paulista e manteve a mesma linha durante breve entrevista. Questionado se estaria de volta ao local em 2012 para a inauguração de toda a linha, o governador foi lacônico: "Deus é quem sabe". Perguntado se quem saberia a resposta não seria o eleitor, Serra retrucou: "A essa altura do campeonato, só Deus".

De acordo com o governador, a primeira fase do prolongamento da Linha 2-Verde será entregue em 2010. A conclusão de todo o projeto está prevista para 2012. O custo do empreendimento será de R$ 2,8 bilhões. Desse total, o Estado custeará R$ 1,8 bilhão, e a Prefeitura, R$ 1 bilhão.

Durante discurso para a população presente na cerimônia, promovida no bairro Parque São Lucas, na região sudeste da cidade, o governador errou o nome do bairro onde discursava, cumprimentando "os moradores do Ipiranga". Alguns dos presentes corrigiram aos gritos o governador, que justificou o engano. "Antigamente, tudo fazia parte da mesma região." Após a cerimônia, Serra caminhou por algumas ruas da região, tirou fotos e conversou com moradores, sempre acompanhado pelo seu afilhado político, o prefeito da capital paulista, Gilberto Kassab (DEM).

    Leia tudo sobre: serra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG