Serra diz que enviou brigada contra dengue para interior

O governo de São Paulo afirmou já ter enviado uma brigada de cem técnicos para o combate ao mosquito da dengue em Araraquara, no interior paulista. Mas a prefeitura nega e informou que o grupo enviado não passa da metade do declarado pelo governo.

Agência Estado |

Segundo a prefeitura, os 40 técnicos da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) que estão na cidade desde o final do ano passado chegaram a ser retirados pelo governo estadual em fevereiro. Após uma semana, o governo municipal alega que pagou a estadia dos técnicos para que eles retornassem ao serviço. Os técnicos, que trabalham com nebulização, permanecem na cidade desde então.

Com cerca de 200 mil habitantes, Araraquara está na iminência de registrar a primeira epidemia de dengue de sua história. Até ontem, a cidade registrava 294,5 casos a cada 100 mil habitantes - para a caracterização de uma epidemia são necessários 300 casos por 100 mil habitantes. Desde janeiro, 589 casos de dengue foram confirmados na cidade, ante 354 durante o mesmo período do ano passado. Outros 49 casos suspeitos ainda estão sob avaliação e um novo levantamento deve ser divulgado até sexta-feira.

"Estamos ajudando. O governo está deslocando uma brigada especial de cem técnicos altamente qualificados para esses lugares onde é preciso fazer um esforço concentrado", disse o governador do Estado, José Serra (PSDB), após participar de encontro com alunos da escola estadual Waldemar Salgado, da cidade de Santa Branca. "O problema em Araraquara é sério há muito tempo. Estamos em cima da prefeitura e estamos ajudando."

Competência

Embora tenha ressaltado que a incidência de dengue em São Paulo pode ser considerada baixa em relação a outros Estados, Serra admitiu que a situação em Araraquara e em Ribeirão Preto, também no interior, é preocupante. Ele disse também que a competência no combate à doença é das prefeituras, que trabalham na prevenção, com os agentes mata-mosquitos.

"Não acho que é isolado, mas em São Paulo não há uma onda de dengue semelhante a de outros lugares. Mas nesses lugares (Araraquara e Ribeirão Preto) preocupa bastante sim, porque dengue, se não é bem combatida em um ano, volta no outro. A larva daquele maldito mosquito é capaz de ficar um ano."

Serra disse que o risco na capital paulista existe, mas é baixo, muito em função da temperatura, que é mais amena e não favorece a proliferação dos mosquitos e larvas. "O risco é pequeno, mas eu não diria que é zero. As pessoas têm que cuidar das suas casas, pois nada substitui o cuidado das pessoas com poças de água paradas", afirmou.

Ele informou que 40 pediatras do Hospital Albert Einstein foram enviados ao Rio de Janeiro para ajudar no tratamento de crianças com dengue. Outros 38, de hospitais públicos do Estado, se preparam para viajar ao Rio nos próximos dias.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG