Serra deve lançar candidatura no dia 10 em Brasília

Em videochat para usuários da rede de microblogs Twitter, o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), disse hoje que o governador de São Paulo, José Serra, pretende anunciar sua candidatura à Presidência da República no dia 10 de abril, um sábado, em Brasília. O parlamentar promoveu a transmissão para comentar os resultados da pesquisa CNI/Ibope divulgada hoje, mas foi perguntado pelos internautas sobre o lançamento da candidatura de Serra.

Agência Estado |

De acordo com a assessoria do PSDB nacional, Guerra disse que os partidos que apoiam a candidatura tucana trabalham para lançar Serra no dia 10. "Estamos trabalhando com a hipótese de lançá-lo e os partidos fazerem esse lançamento no dia 10 de abril. Quando terminar a Semana Santa, ele será candidato. Nada mais lógico, mais tranquilo, mais seguro e mais correto", afirmou no videochat, segundo a assessoria. "O anúncio será em Brasília."

A decisão de atrasar o anúncio da sua candidatura à Presidência, na avaliação de cientistas políticos, tem prejudicado o desempenho de Serra nas últimas pesquisas de intenção de voto. A pesquisa CNI/Ibope, divulgada hoje, indica queda do governador, que passou de 38% no levantamento anterior para 35%. A diferença entre o tucano e a pré-candidata do PT, ministra Dilma Rousseff, caiu para cinco pontos porcentuais.

No videochat, o presidente do PSDB minimizou a queda de Serra, avaliando-a como estagnação. "José Serra não fez outra coisa senão manter suas intenções de voto. Mantivemos uma posição estável, com o governador em São Paulo, sem andar pelo Brasil, sem aparecer nas redes de televisão", afirmou. "Nesse mesmo período, a ministra Dilma andou o Brasil inteiro numa campanha ilegal, no avião do presidente, com combustível da União", criticou.

O presidente nacional do PSDB reconheceu que desde o final do ano passado Dilma tem crescido nas pesquisas de intenção de voto. Mas amenizou: "Não conheço nenhum eleitor da Dilma. Eu conheço eleitores do Lula que votam na Dilma."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG