Serra defende projeto de trem que liga capital a Cumbica

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), saiu ontem em defesa do projeto do Expresso Aeroporto que, segundo ele, “está muito bem feito do ponto de vista ambiental”. Anteontem, a Justiça de Guarulhos, na Grande São Paulo, determinou a suspensão imediata de toda e qualquer obra relativa ao expresso e ao trem de Guarulhos.

Agência Estado |

O magistrado acatou manifestação do Ministério Público Estadual (MPE), que viu falhas no Estudo e no Relatório de Impacto Ambiental (EIA-Rima) apresentados pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) para a obtenção da licença ambiental do projeto.

“Vamos ganhar na Justiça”, afirmou Serra. “Não me preocupa muito porque ela (a decisão judicial) não tem sustentação, a meu ver. A preocupação agora é ter uma boa licitação, muitos concorrentes, o governo federal andar depressa no caso das obras do terminal 3.” O governo do Estado considera a ligação férrea entre a capital e o Aeroporto Internacional de Cumbica estratégica para atender à crescente demanda de passageiros do setor aéreo e, principalmente, absorver o fluxo de turistas durante a Copa do Mundo de 2014.

O presidente da CPTM, Sérgio Aveleda, também defendeu o trabalho já feito. “Não vou discutir a decisão judicial, mas afirmo que esse projeto foi exaustivamente estudado”, afirmou. O EIA-Rima, segundo ele, foi aprovado por unanimidade pelo plenário do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema). Também não houve objeções por nenhum dos órgãos públicos envolvidos, como as prefeituras de São Paulo e Guarulhos e as entidades de defesa do patrimônio histórico. “Até o Conselho da Área de Proteção Ambiental (APA) do Tietê aprovou o projeto”, disse o presidente da companhia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG