Um dia antes de desembarcar em Salvador, onde inicia uma série de viagens pelo Brasil, o pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, disse, em entrevista à Rádio Sociedade, da capital baiana, que a chance de a eleição ser resolvida no primeiro turno é de meio a meio, mas que a disputa só vai se acelerar depois da Copa do Mundo.

"Vai depender muito do desempenho da Marina (Silva, pré-candidata pelo PV). Mas eu diria que a probabilidade é de meio a meio", disse, ao responder sobre a possibilidade de a eleição ter ou não segundo turno. "Se houver, contanto que eu vá, está ótimo."

Ao comentar as pesquisas eleitorais, o pré-candidato tucano disse que são "retratos de momento" e que não se preocupa com elas. "É bom estar na frente, mas o que decide é o dia da eleição", disse. "A campanha vai se acelerar mesmo depois da Copa do Mundo. Menos de um mês depois da oficialização das candidaturas começa a Copa."

Serra fez elogios ao Bolsa-Família e desmentiu rumores de que acabaria com o programa federal, caso eleito. "O Bolsa-Família deve ser mantido, o modelo me agrada, porque você tem de dar às famílias a possibilidade de ter renda, mas pode ser melhorado", ponderou. "É preciso também dar acesso ao trabalho. Assim se dá chance às pessoas, sobretudo aos mais jovens, de ter oportunidades na vida."

Ao comentar o cenário político baiano, Serra brincou. "Gente que era muito contrária entre si hoje está junto. Isso, na política baiana, tem muito significado, porque quando o ACM (senador Antônio Carlos Magalhães) era vivo, havia uma polarização forte e, de repente, tudo se diluiu", lembrou. "Eu vou olhando de fora, porque, para entender, só baiano mesmo. É complicado."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.