O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), atribuiu hoje uma cota de responsabilidade pelas falhas no ensino no Estado à inadequação das faculdades de pedagogia, que, para ele, falham na formação de docentes. Ao anunciar a criação da Escola de Formação de Professores do Estado, Serra criticou o excesso de teoria no currículo do curso.

"Onde menos se avançou (na rede pública) foi no aprendizado", disse o governador. "Nas teses de faculdades de pedagogia há pouca coisa útil para melhorar o ensino."

Serra chegou a sugerir um tema para trabalhos acadêmicos na área: "Por que ninguém sabe a tabuada no final da 4ª série?". O governador disse que a tese ajudaria também a averiguar o conhecimento dos professores sobre matemática. "Eu já peguei professor que não sabia a tabuada", disse. O governador recomendou ainda que as instituições privadas de ensino estimulem com bolsas de estudos os alunos que queiram pesquisar "sobre a sala de aula".

Ao discursar sobre a rede de escolas técnicas do Estado, o governador tucano voltou a mirar nas faculdades de pedagogia. "Ninguém vai ter ideia de fazer (uma tese sobre o ensino técnico) porque seria demasiado útil e banal." O secretário estadual de Educação, Paulo Renato Souza, disse esperar que a recém-criada Escola de Formação inspire mudanças nos cursos de pedagogia. "A escola vai influenciar as faculdades de educação", afirmou. "Os professores têm muita teoria e pouca prática."

Ensino técnico

Em meio a elogios a uma das principais bandeiras de seu governo, o ensino técnico profissionalizante, Serra parafraseou o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Na área de ensino técnico e tecnológico estamos fazendo a maior expansão da história de São Paulo. Se fosse o Maluf, diria assim: 'Fizemos mais Fatecs (Faculdades de Tecnologia) do que tudo o que foi feito desde o descobrimento até 2007", disse ele, para depois brincar com uma frase usual de Lula: "Nunca antes na história deste Estado se fez tanta escola".

O governador afirmou ainda que mudará o nome do Centro Paula Souza, que administra as Escolas Técnicas (Etecs) e Fatecs do Estado. Segundo Serra, o centro ganhará "um nome mais forte", SP Tec. "O pessoal pensa que Paula Souza é uma senhora benemérita, a Tia Paula, que recebe dinheiro de fundações suíças, dinamarquesas, alemãs para ensinar", disse. "Tem de ter um nome mais forte, que é SP Tec. Vai ser (esse o nome) daqui em diante." O centro recebeu esse nome em abril de 1971, em homenagem ao engenheiro Antonio Francisco de Paula Souza (1893-1917), fundador da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.