Apesar de bem informados, os chamados “viciados” em sol insistem em passar horas se bronzeando mesmo sabendo sobre os riscos, como envelhecimento precoce e câncer de pele. Os problemas causados pela exposição contínua aos raios ultravioleta UVA e UVB e os cuidados a serem tomados - especialmente durante o verão - não são novidades para elas.

De acordo com a dermatologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Flávia Martteli, essa teimosia pode ser explicada pela serotonina.

Segundo a dermatologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Flávia Martteli, o sol é um estimulante da produção de serotonina, um neurotransmissor responsável por levar os estímulos de um neurônio ao outro, também a responsável pela sensação de bem-estar. Por isso, sol e bem-estar são constantemente associados. “Tenho pacientes que não desistem de ter ‘cara de verão’ o ano inteiro”, diz Flávia.

Filtro solar e bom senso são recomendações simples dos especialistas, mas nem sempre fáceis de seguir. E se precaução não se compra nas farmácias, os filtros solares, com fatores de proteção variados, sim. Dos protetores em cápsulas a loções que protegem o DNA da pele contra os efeitos nocivos do sol, o bloqueio dos raios ultravioleta é medido pelo Fator de Proteção Solar (FPS).

Quando se usa um filtro com FPS 30, por exemplo, a pele deve levar 30 vezes mais tempo para ficar vermelha. “O ideal é que se reaplique a loção, no máximo, a cada duas horas”, explica Flávia. Para quem acredita que basta evitar o sol entre as 10h e as 16 horas para fugir de problemas, a dermatologista da Unifesp explica que para a proteção contra o câncer de pele isso está correto.

Porém, para evitar o envelhecimento precoce da pele, essa teoria não se aplica. Os raios UVA estão presentes o dia todo, não queimam nem deixam áreas vermelhas, mas são os principais causadores do envelhecimento precoce da pele. Já os raios UVB são mais intensos no verão, entre 11h e 15 horas, e são os principais responsáveis pelo câncer de pele.

Emilio Sant’Anna e Roberta Pennafort

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.