SÃO PAULO ¿ Quatro duplas em quatro shows temáticos dão uma panorâmica na carreira de um dos maiores ícones da cultura pop musical brasileira, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em São Paulo.

A série "Alô... Alô? 100 Anos de Carmen Miranda", que começa hoje com Roberta Sá e Pedro Luís no show "A Pequena Notável", passou por Brasília e Rio com o mesmo elenco, todos afinados com a figura e o estilo da homenageada.

Na próxima terça, Eduardo Dussek (expert em Carmen) divide o palco com Rita Ribeiro em "O Que É Que a Baiana Tem?", com destaque para canções de Ary Barroso, Dorival Caymmi e Assis Valente, três dos compositores que Carmen mais gravou, comentadas por Ruy Castro, biógrafo da cantora.

Verônica Ferriani e Pedro Miranda se unem em "É Disso Que Eu Gosto", no dia 23. Com comentários de Sérgio Cabral, o show destaca músicas gravadas por Carmen em dupla com Mario Reis, Almirante, Lamartine Babo e Barbosa Júnior, em que o bom humor dá a tônica.

Esses três shows são o que Luís Filipe de Lima, que idealizou o projeto e assina a direção musical e artística, classifica de tributo à memória da Carmen brasileira. A ênfase na brasilidade, segundo o diretor, tem intenção de contrabalançar a imagem estigmatizada na memória do público: Os clichês visuais como as bananas e abacaxis na cabeça, os turbantes exóticos e os vestidos de baiana estilizados que apresentava nos filmes de Hollywood.

Essa face americanizada, porém, não poderia faltar para compor um retrato completo de Carmen. As canções que ela levou à Broadway e ao cinema ¿ como "Aquarela do Brasil", de Ary Barroso ¿ estão no show "Brazilian Bombshell", com Marcos Sacramento e Beatriz Faria, que encerra a série no dia 30.

Leia mais sobre: Carmen Miranda

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.