Sérgio Guerra se defende das acusações de Sarney

BRASÍLIA - O presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra (PE), se defendeu nesta terça-feira no plenário do Senado Federal das acusações do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). ¿Claro que passei por momentos difíceis, mas não fugi deles. Nunca fui governo, nunca apoiei o governo por apoiar¿, afirmou.

Camila Campanerut, repórter em Brasília |


Em discurso nesta última segunda-feira, o senador Sarney se referiu a Guerra nominalmente , incluindo outros parlamentares como Demóstenes Torres (DEM-GO) e Valter Pereira (PMDB-MS).

Sarney criticou a postura dos colegas senadores: o que me traz à tribuna é que alguns colegas meus foram muito apressados. Não procuraram nem saber do que se tratava e dizem que é preciso fazer uma investigação sobre os imóveis de Sarney. 

Na ocasião, o presidente do Senado explicava a nova denúncia de que dois apartamentos da família dele estariam em nome de uma empreiteira do setor elétrico.

O senador tucano voltou a pedir que as polêmicas da Casa Legislativa sejam esclarecidas dentro do próprio Congresso. Aproveitando ainda o tempo de discurso, Guerra criticou mais uma vez a fala do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pediu para a ex-secretaria Lina Vieira mostrar a agenda, onde o encontro com a ministra-chefe da Casa Civil estaria marcado. Para Guerra, o presidente e seus aliados estão pressionando e interferindo nas tentativas de investigações de irregularidades dentro do governo.

Leia mais sobre: crise no Senado

    Leia tudo sobre: crise no senadosarneysenadosérgio guerra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG