Ser mulher é difícil, diz Ary Fontoura após viver matriarca

SÃO PAULO ¿ Ary Fontoura conta histórias ótimas sobre A Guerra dos Rocha, muitas delas mais divertidas do que o próprio filme de Jorge Fernando que estreou na sexta-feira.

Agência Estado |

Ary Fontoura travestido para
"A Guerra dos Rocha" / Divulgação

"A Guerra dos Rocha" é um remake de uma produção argentina, "Esperando la Carroza". No filme, Ary Fontoura faz a matriarca da família Rocha, expulsa, de casa em casa, pelos filhos, até ser dada como morta num acidente. A mãe Rocha vive a situação de voltar para casa no próprio enterro e esculachar os filhos.

As histórias de Ary envolvem suas dificuldades para representar "montado". Todo dia, ele passava por horas de maquiagem. Ajeitar a peruca, as unhas postiças, os seios. As sobrancelhas foram arrancadas de cara ¿ e hoje ele pode dizer com segurança. "Ser mulher é difícil. As pobrezinhas sofrem."

Chegou um momento em que, com o relógio biológico alterado ¿ ia dormir à 1h30, acordava às 5 horas ¿, ele desistiu de fazer as unhas todo dia. Manteve-as pintadas. Durante a gravação, Ary vivia na ponte aérea Rio/São Paulo, pois fazia uma peça em Campinas, no papel de um bicheiro casca-dura.

"Para viajar, eu podia disfarçar a falta das sobrancelhas usando óculos e, no teatro, usava a boa e velha cola para aplicar pêlos falsos. Mas eu pedi um copo d'água para a aeromoça e, quando estendi a mão, com aquelas unhas bem vermelhas, ela ficou paralisada. Fui logo informando que estava fazendo um filme. Ela achou que eu estava mais é querendo lançar moda. Até me disse que artista é sempre ousado."

Ary já fizera travestis antes e usara saltos altos, mas tudo junto terminou por desequilibrá-lo. "Os seios falsos me jogavam para a frente. Os saltos altos me faziam cair para os lados." O pesadelo real foi outro. Para tornar os seios menos rígidos, a figurinista Marília Carneiro criou um modelo de sutiã recheado com alpiste. A mansão da produção ficava no Alto da Boa Vista, no Rio. Ali perto tem uma praça. Numa noite, Ary sonhou que estava caminhando na praça quando viu, detrás de um muro, aquele velho gordo fumando charuto. Era Alfred Hitchcock, o próprio mestre do suspense, que comandou um ataque dos pássaros contra ele. "Acordei em pânico, com as pombas bicando meus seios para comer o alpiste", ele conta.

Leia mais sobre: Ary Fontoura , Guerra dos Rocha

    Leia tudo sobre: cinema brasileiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG