Senadores têm até dia 10 para informar cargo de parente

O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), mandou hoje um ofício a cada um dos senadores pedindo que eles informem até o dia 10 se tem ou não parentes ocupando cargos de confiança da Casa. É esta sua primeira iniciativa para enquadrar os parlamentares que se recusam a cumprir com a súmula do Supremo Tribunal Federal (STF) contra o nepotismo no serviço público.

Agência Estado |

No ofício, Garibaldi solicita aos colegas que também "exponham dúvidas" a respeito do "alcance da súmula em determinada situação concreta de seu interesse".

O texto não faz nenhuma referência aos familiares de servidores em cargos de direção contratados no Senado, igualmente atingidos pela súmula. É o caso de duas filhas e do cunhado da secretária-geral, Cláudia Lyra, e, entre outros, da mulher, do filho, da nora e da cunhada do diretor da secretaria de Recursos Humanos, João Carlos Zoghbi.

São quatro os senadores que continuam ignorando a súmula do STF: Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), com a mulher, uma filha e um sobrinho; Almeida Lima (PMDB-SE), com dois sobrinhos; Augusto Botelho (PT-RR), com um irmão; e Efraim Morais, que depois de ter demitido uma filha, cinco sobrinhos e um cunhado, mantém empregado um sobrinho.

Desde que a medida do STF entrou em vigor, dia 29 de agosto, foram demitidos 23 parentes, a maioria deles suspeitos de serem fantasmas. Na decisão a conta-gotas, hoje foi a vez da exoneração da filha do senador Adelmir Santana (DEM-DF), Cynthia Santana.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG