Senadores que defendem interesses de movimentos sociais também se posicionaram contra nesta terça-feira à ação de integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que destruíram ontem (5) cerca de 7 mil pés de laranja em fazenda considerada produtiva em Borebi (SP). Os parlamentares reconhecem que é preciso acelerar a reforma agrária no país, mas censuram o uso da violência.

Eles já estavam dentro da terra. O que ocorreu é resultado de um processo de reforma agrária devagar. Mas nada justifica fazerem esse tipo de destruição. Se a terra ocupada é terra pública, tem que ser passível de reforma agrária. Mas repito que nada justifica a destruição que fizeram, considerou a senadora Serys Slhessarenko (PT-MT).

Leia reportagem completa no Congresso em Foco

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.