Senadores irão sugerir a Paulinho afastamento temporário do PDT

BRASÍLIA - Os senadores do PDT declararam nesta terça-feira que são favoráveis ao afastamento temporário do PDT pelo deputado federal Paulinho da Força (PDT-SP), acusado de fazer parte de um esquema de desvio de verbas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O senador Osmar Dias (PDT-PR), disse que irá sugerir a licença de Paulinho na reunião para explicações de Paulinho à legenda, nesta noite, em Brasília.

Rodrigo Ledo e Severino Motta, do Último Segundo |

Abr/ Antônio Cruz
Segundo Osmar Dias, o fato de ser favorável à licença do deputado não significa uma opinião sobre culpa. O partido está esperando essas explicações do deputado Paulinho. Acredito que ele terá explicações, disse, para depois acrescentar que se ninguém fizer essa sugestão [do afastamento], eu faço.

A mesma opinião tem o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) e o líder do PDT no Senado, senador Jefferson Péres (AM). Nem deve haver punição [na reunião desta noite] porque seria um prejulgamento, alegou Péres, para depois acrescentar que Paulinho demorou a dar sua versão dos fatos e o melhor para todos seria sua licença do partido. A iniciativa, explicou o líder, não representaria a desfiliação do correligionário nem mudanças no seu dia-a-dia na Câmara.

Ele deveria, simultaneamente às explicações, pedir licença do partido para não causar constrangimento aos colegas. É simbólico, ele diria eu quero me afastar do partido para preservá-lo. Se não quiser fazê-lo, paciência, observou. 

PDT não deve aplicar sanções

O presidente do PDT, deputado Vieira da Cunha (RS), adiantou que o partido não deve propor sanções contra o deputado. De acordo com Vieira da Cunha, ainda não existem elementos que permitam ao partido culpar ou absolver sumariamente o também líder sindical.

O presidente destacou que Paulinho vai abrir seus sigilos bancário, telefônico e fiscal, o que permite ao PDT se solidarizar com o parlamentar neste momento. Após o esclarecimento do caso, o partido será solidário ou punirá, reforçou o deputado gaúcho.

Em relação à posição do líder do PDT no Senado, senador Jefferson Perez (AM), que nesta terça-feira defendeu o afastamento de Paulinho, Cunha disse que Perez pode rever sua posição, diante do compromisso de abertura dos sigilos, proposta por Paulinho. O presidente enfatizou ainda que o PDT acompanhará de perto todas as investigações e citou que a sigla é intransigente em relação a qualquer tipo de crime de corrupção cometido por qualquer um de seus membros.

Leia mais sobre: Paulinho da Força

    Leia tudo sobre: paulinho

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG