Os senadores aliados entraram em obstrução na sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), por iniciativa do líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), tomada em represália pela decisão do presidente da comissão, Demóstenes Torres (DEM-GO), de não colocar em votação um requerimento convidando e um convocando a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, a prestar depoimento. Os requerimentos foram apresentados por Jucá para serem rejeitados, em votação, pela maioria governista.

Jucá acusou Demóstenes de estar conduzindo os trabalhos da CCJ com parcialidade, "armando emboscadas" e evitando colocar matérias em votação nos momentos em que a maioria dos governistas está presente. "Nós não vamos aceitar isso", declarou Jucá. O senador do Álvaro Dias (PSDB-PR) rebateu a declaração do líder governista afirmando que "esse tipo de jurisprudência" é o mesmo adotado pelo líder do governo como presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.