Senadores aguardam Sarney para protocolar CPMI do Campo

BRASÍLIA ¿ A oposição anunciou que só vai protocolar o requerimento de criação da CPI Mista do Campo quando confirmada a convocação da sessão do Congresso pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). ¿Não vamos mais correr riscos. Queremos um compromisso do presidente Sarney de que ele irá atender a este anseio da minoria e convocar uma sessão do Congresso para que a CPI possa ser instalada¿, justifica a senadora Kátia Abreu (DEM-GO).

Camila Campanerut, repórter em Brasília |


Agência Senado
Kátia Abreu
Kátia Abreu concede entrevista
nesta terça-feira

A estratégia dos parlamentares da oposição, segundo a democrata, é de agir com cautela para evitar o que ocorreu da última vez, quando mais de 40 deputados retiraram suas assinaturas de última hora e inviabilizaram a entrada do pedido da CPI. Se ele (Sarney) marcar a sessão (do Congresso) para a quarta-feira, nós protocolamos na terça-feira, afirma.

A oposição já conta com mais do que o número mínimo de assinaturas (171 deputados e 27 senadores), mas acusa o governo de pressionar as bancadas de base da Câmara para retirada da proposta.  Não queremos mais correr o risco de expor os parlamentares que nos apoiaram a mercê da pressão do governo, aponta Abreu.

No entanto, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), rebate a afirmação da senadora e defende que o governo não é contra a criação da CPI. O governo não teme a CPI. A CPI não é contra o governo. Não vai haver manobra do governo para evitar a instalação desta investigação, avisa.

Leia também:

Leia mais sobre MST

    Leia tudo sobre: cpicpmicpmi do campocpmi do mstmst

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG