Senador Suplicy dá cartão vermelho a Sarney e aliado em plenário

BRASÍLIA - O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) utilizou nesta terça-feira à noite em discurso no Plenário uma linguagem próxima à grande maioria do povo brasileiro: a do futebol. O parlamentar tirou do paletó e mostrou aos parlamentares um cartão vermelho para pedir a renúncia do presidente do Senado José Sarney (PMDB-AP).

Camila Campanerut, repórter em Brasília |


AE
Suplicy e seu cartão vermelho
No meu entender, o arquivamento das representações não foram suficientemente esclarecidas. Para voltarmos à normalidade, o melhor caminho é que Sua Excelência renuncie ao cargo no Senado", pediu Suplicy.

Em defesa de Sarney, o senador democrata Heráclito Fortes (PI) fez uma série de intervenções durante o discurso do senador petista que, de forma inesperada, recebeu de Suplicy um cartão vermelho também.

O bate-boca entre os dois parlamentares se transformou em gritaria. O senador da oposição pedia ao petista que mostrasse o cartão vermelho ao Presidente Lula, que deu cartão amarelo ao líder do Partido no Senado, Aloizio Mercadante. O Presidente Lula foi quem invadiu as dependências do Senado, ele é o responsável pela crise, bradou Fortes.  Use a palavra e não o cartão, pediu. 

"Não estou afirmando que tenham relações, mas que cabe a investigação, no mínimo", voltou a defender Suplicy.

O senador Mão Santa (PMDB-PI), que presidia a mesa no momento da discussão, aproveitou o tom da conversa e soltou: Quem está com o apito aqui sou eu? e pediu que a discussão se encerrasse para dar continuidade aos discursos dos demais senadores inscritos.

Leia mais sobre: Conselho de Ética

    Leia tudo sobre: sarneysenadosuplicy

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG