Senador quer PF investigando confecção de suposto dossiê

BRASÍLIA - O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) defendeu nesta sexta-feira, em Curitiba, que a Polícia Federal assuma a investigação não apenas do vazamento do suposto dossiê a respeito dos gastos realizados pelo governo Fernando Henrique Cardoso, mas da confecção do documento.

Agência Estado |

"Até porque se houve vazamento é porque houve crime, não haveria vazamento de algo que não existe e a Polícia Federal tem tarefa de identificar quem ordenou", afirmou. "As informações foram retiradas lá na Casa Civil, do banco de dados."

Ele disse que o fato de o ministro da Justiça, Tarso Genro, admitir a participação da PF na investigação é um "avanço". "Mas ainda não houve assentimento da Casa Civil porque a ministra (Dilma Rousseff) deve estar com algum receio", ressaltou.

Segundo ele, o governo tem receio da PF desde o caso do caseiro Francenildo dos Santos Costa. "O PT e o governo alegavam que o PSDB tinha comprado o caseiro para denunciar o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, e quebraram o sigilo bancário para descobrir se tinha dinheiro do PSDB na conta do caseiro", disse.

"Houve convocação da PF e descobriram os responsáveis pela quebra do sigilo, que culminou na demissão do presidente da Caixa Econômica e do ministro da Fazenda."

O senador reclamou que o governo, até agora, preferiu criar uma comissão de sindicância, buscando auxílio no Instituto de Tecnologia da Informação (ITI).

"Esse instituto pode dar sustentação técnica, mas é necessário a presença da Polícia Federal em toda a investigação, pois o vazamento é apenas o último lance de uma ação criminosa, ele é conseqüência e não causa", acentuou.

"O que se deseja excluindo a PF é a instituição da hierarquia penal, ou seja, vamos penalizar subalternos, os cardeais nunca."

Leia mais sobre: dossiê

    Leia tudo sobre: dossiê

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG