Senador protocola notícia crime contra Agaciel na Polícia Federal

BRASÍLÍA - O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) protocolou nesta quarta-feira uma notícia crime contra o ex-diretor-geral do Senado, Agaciel Maia, acusando-o dos crimes de prevaricação e de inclusão de dados incorretos no banco de dados da Casa. Demóstenes ainda protocolou outra notícia crime junto à presidência do Senado, pedindo que o presidente José Sarney (PMDB-AP) instaure um processo administrativo visando a demissão de Agaciel do serviço público.

Severino Motta, repórter em Brasília |

As representações dizem respeito à lotação de uma servidora ligada a Agaciel em seu gabinete, sem seu prévio conhecimento. Ele argumenta que, de acordo como regimento do Senado, é preciso que a assinatura do Senador conste em qualquer movimentação de pessoal, o que não aconteceu.

No caso da servidora, Agaciel teria aproveitado uma vaga em seu gabinete e deixado Lia Raquel Monturil lotada no gabinete por menos de um mês, transferindo-a para o gabinete do senador Delcídio Amaral (PT-MS). As duas movimentações foram feiras através de atos secretos e sem o conhecimento dos parlamentares.

Agaciel Maia, para satisfazer interesses escusos e inconfessáveis, alterou, sem a solicitação, permissão ou anuência do noticiante/requerente (Demóstenes), a lotação da ex-servidora, diz trecho da representação encaminhada à PF. Em vista do exposto, o noticiante requer que seja instalado de imediato a instauração de inquérito policial.

Arthur Virgílio

O senador Arthur Virgílio (AM), líder do PSDB, pediu em requerimento enviado ao presidente do Senado a instauração de processo administrativo disciplinar para apurar a responsabilidade dos ex-diretores Agaciel Maia e João Carlos Zoghbi na edição dos atos administrativos secretos.

Leia também:

Leia mais sobre: atos secretos

    Leia tudo sobre: ato secretobrasiliasenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG