O vice-presidente do Senado, Marconi Perillo (PSDB-GO), encaminhou ofício hoje ao presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), com o pedido de exoneração de dois diretores do serviço médico da instituição que não teriam informado a Mesa Diretora do Senado sobre irregularidades em contratos firmados com clínicas e hospitais. A auditoria realizada a pedido dos diretores encontrou ilegalidades que não foram informadas à Mesa.

Perillo, que é presidente do Conselho de Supervisão do Sistema Integrado de Saúde (SIS), sugere no ofício que deixem os cargos os diretores Paulo Roberto Rodrigues Ramalho, da Secretaria de Assistência Médica e Social (SAMS), e Fábio Rezende Scarton Coutinho, do SIS.

No documento, Perillo justifica as sugestões alegando que auditoria realizada detectou "claros indícios de ilegalidade" na contratação de empresas prestadoras de serviços ao SIS de que participam como sócios funcionários servidores do Senado. O tucano também diz estar evidenciada "clara quebra de confiança" por parte dos dois diretores pela falta de comunicação ao conselho em relação à realização de auditoria.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.