Senador do PSol procura apoio para criar CPI da Máfia no Senado

BRASÍLIA - O senador José Nery (PSol- PA) começou a colher nesta quarta-feira assinaturas para criar a CPI da Máfia do Senado, que investigaria a edição de atos secretos, os contratos com empresas terceirizadas durante a gestão do ex-diretor Agaciel Maia, e os empréstimos consignados firmados sob a tutela do ex-diretor de Recursos Humanos, João Carlos Zoghbi.

Carol Pires, repórter em Brasília |

Além de José Nery, o requerimento de CPI já tem assinatura dos senadores Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) e Jefferson Praia (PDT-AM). Outros dois parlamentares se comprometeram a endossar o documento, segundo o senador paraense. Na tarde desta quarta-feira, Nery pretende articular entre os líderes partidários um eventual apoio à CPI da Máfia no Senado.

Pelo regimento do Senado, no mínimo 27 dos 81 senadores precisam assinar o requerimento para que a comissão de inquérito seja instalada. Porém, alguns senadores resistem à idéia de Nery por temerem que o Senado fique muito exposto à opinião pública.

Mas, na opinião do senador, somente cortando na própria carne a instituição resgataria seu prestígio. Seria uma demonstração de grande responsabilidade fazer uma boa e competente investigação. Não podemos continuar colocando a sujeira para debaixo do tapete, avaliou.

José Nery acredita que os ex-diretores Agaciel Maia e João Carlos Zoghbi não tenham firmado contratos ilegais e editado atos secretos sem a tutela de algum senador, e que, se descobertos, os parlamentares devem ser julgados pelo Conselho de Ética. Não sabemos a extensão disso. Com certeza tem senador envolvido ¿ a investigação que tem que revelar isto. Mas deve ser um núcleo pequeno, disse.

Leia também:

Leia mais sobre: atos secretos


    Leia tudo sobre: ato secretosenadosenadores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG