O senador Magno Malta (PR-ES) informou nesta quinta que treze pessoas foram presas na quarta-feira durante a Operação Fênix, do Ministério Público, feita em parceria com a CPI da Pedofilia.

De acordo com o senador, a Justiça expediu 20 mandados de busca e apreensão em Catanduva, a 385 km de São Paulo. As últimas informações que o senador recebeu diziam que duas pessoas ainda estavam foragidas, um médico e um funcionário de uma usina local, ambos acusados de pedofilia.

Segundo o senador ¿ que é presidente da CPI ¿ a operação apreendeu diversos materiais com pornografia infantil, que envolviam crianças de até três anos de idade. As identificações que foram feitas são absolutamente nefastas, doloridas, essa rede de predadores, de abusadores de crianças, levando famílias ao caos emocional, moral, psicológico, disse Malta.

Na tarde desta quinta-feira, a CPI vai se reunir em sessão secreta para votar requerimentos de convocação das pessoas presas em São Paulo e também a sua quebra de sigilo. Na próxima quarta-feira, dia 18, membros da CPI de Pedofilia  irão a Catanduva e, durante três dias, pretendem colher o depoimentos dos acusados.

Magno Malta defende que, ao final da CPI, o Senado analise um projeto com previsão de pena de até 30 anos para condenados por crime de pedofilia. Qualquer abuso de criança, de zero a quatorze anos, importará em trinta anos, sem progressão de regime e rastreamento eletrônico até a morte, defendeu.

Leia mais sobre: CPI da Pedofilia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.