Senado suspende ex-diretores acusados por atos secretos por 90 dias

O primeiro-secretário do Senado, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), oficializou nesta quinta-feira a determinação de suspender o ex-diretor da Casa Agaciel Maia por 90 dias por envolvimento na edição de atos secretos do Senado.

Agência Estado |

Uma série de denúncias no ano passado revelou que centenas de atos, que foram usados para a contratação de aliados políticos e senadores e até para aumentos de salários dos funcionários, ficaram sem a devida publicação legal. À época, Agaciel Maia foi apontado como mentor da prática.

A Comissão Especial formada por três servidores investigou o caso, sendo que dois deles sugeriram, ao final dos trabalhos, a demissão de Agaciel Maia do funcionalismo público. No entanto, Fortes decidiu apenas suspender o ex-diretor porque, segundo ele, "a pena de demissão por improbidade administrativa, que seria a aplicável ao caso, só poderia ser imposta depois de condenação judicial, o que ainda não ocorreu".

A mesma penalidade foi aplicada ao ex-diretor de Recursos Humanos, João Carlos Zoghbi. Outros cinco servidores foram também responsabilizados, mas tiveram penas mais leves. Flarklin Albuquerque Paes Landim, que colaborou com as investigações, e Celso Antonio Martins Menezes pegaram suspensão por 30 dias, pena que, nesse caso, poderá ser convertida em multa. Jarbas Mamede, Ana Lúcia Gomes de Melo e Washington Luiz Reis de Oliveira serão advertidos.

Leia mais sobre: Agaciel Maia  - Senado

    Leia tudo sobre: agaciel maiasenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG