O primeiro-secretário do Senado, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), oficializou nesta quinta-feira a determinação de suspender o ex-diretor da Casa Agaciel Maia por 90 dias por envolvimento na edição de atos secretos do Senado.

Uma série de denúncias no ano passado revelou que centenas de atos, que foram usados para a contratação de aliados políticos e senadores e até para aumentos de salários dos funcionários, ficaram sem a devida publicação legal. À época, Agaciel Maia foi apontado como mentor da prática.

A Comissão Especial formada por três servidores investigou o caso, sendo que dois deles sugeriram, ao final dos trabalhos, a demissão de Agaciel Maia do funcionalismo público. No entanto, Fortes decidiu apenas suspender o ex-diretor porque, segundo ele, "a pena de demissão por improbidade administrativa, que seria a aplicável ao caso, só poderia ser imposta depois de condenação judicial, o que ainda não ocorreu".

A mesma penalidade foi aplicada ao ex-diretor de Recursos Humanos, João Carlos Zoghbi. Outros cinco servidores foram também responsabilizados, mas tiveram penas mais leves. Flarklin Albuquerque Paes Landim, que colaborou com as investigações, e Celso Antonio Martins Menezes pegaram suspensão por 30 dias, pena que, nesse caso, poderá ser convertida em multa. Jarbas Mamede, Ana Lúcia Gomes de Melo e Washington Luiz Reis de Oliveira serão advertidos.

Leia mais sobre: Agaciel Maia  - Senado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.