Senado ordena demissão imediata de parentes não-concursados

BRASÍLIA - O Senado ordenou a demissão imediata de parentes de senadores e de servidores que ocupam cargos de chefia e que ainda estão trabalhando na Casa. A decisão foi tomada nesta terça-feira, após reunião do presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) e os demais membros da Mesa Diretora.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

No último dia 21, o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou por unanimidade uma súmula que proíbe o nepotismo nas três esferas do Poder : Executivo, Legislativo e Judiciário. 

Quem contratar parentes de até 3º grau para cargos na administração pública poderá responder por crime de improbidade administrativa. Nos casos de parentes de senadores e deputados contratados sem concurso público, o parlamentar pode responder por quebra de decoro parlamentar.

Garibaldi Alves foi o primeiro senador a demitir um parente depois da aprovação da súmula pelo Supremo. Ele mantinha um sobrinho, Carlos Eduardo Alves Emerenciano, como assessor técnico de seu gabinete. Até hoje, pelo menos 30 parentes de deputados federais e senadores foram exonerados.

Leia mais sobre: nepotismo

    Leia tudo sobre: nepotismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG