Senado desobedece TSE e mantém Expedito Júnior no cargo

BRASÍLIA - A Mesa Diretora do Senado decidiu nesta terça-feira não cassar o mandato do senador Expedito Júnior (PR-RO). Os senadores acharam por bem deixar Expedido no cargo até que se esgotem as possibilidades de recurso.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

O senador teve o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 19 de agosto, sob acusação de abuso de poder econômico. Na terça-feira passada (2), ele teve uma ação cautelar negada pelo plenário do TSE.  Ainda há a possibilidade de recurso ao Supremo Tribunal Federal (STF).  

A denúncia contra Expedito partiu de Acir Gurgacz (PDT), concorrente de Expedito a uma vaga no Senado nas eleições de 2006. Segundo Acir, Expedito teria pago R$ 100 para funcionários da empresa do seu irmão para votarem nele. O senador nega as acusações.  

Expedido Júnior já teve seu mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia em 2007, quando foi acusado de compra de votos nas eleições de 2006. Ele recorreu da decisão e ganhou a causa.

Leia mais sobre cassação

    Leia tudo sobre: cassação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG