Senado derruba criação de comissão para investigar o DNIT

BRASÍLIA - Uma articulação promovida pelo PR conseguiu derrubar a criação da CPI para investigar problemas na contratação de serviços, processos licitatórios e convênios do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), conforme apontado por relatório do Tribunal de Contas da União (TCU). Apesar da leitura da criação ter sido realizada nesta terça-feira, quatro senadores retiraram suas assinaturas, inviabilizando a implantação da comissão.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

De autoria do senador Mário Couto (PSDB-PA), a CPI estava parada no Senado desde 2007. Na justificativa do pedido de instalação, Couto alega que o DNIT tem sido uma constante nos relatórios realizados pelo Tribunal de Contas da União pela presença de irregularidades nos convênios, contratos e instrumentos congêneres.

Couto tenta instalar a comissão desde que Antônio Pagot (PR) foi nomeado diretor-geral do DNIT. Ele é considerado o braço direito do governador de Mato Grosso, Blairo Maggi (PR), adversário do PSDB no Estado.

Os senadores Romeu Tuma (PTB-SP), João Tenório (PSDB-AL), Valter Pereira (PMDB-MS) e Eliseu Resende (DEM-MG) foram os quatro que retiraram seus nomes do pedido de criação da CPI. Qualquer subtração ou nova assinatura só poderia ser feita até a meia noite de ontem.

Com a retirada dos nomes, a CPI ficou com 25 assinaturas, menos que as 27 necessárias. Além dos quatro, o nome do senador Jeferson Peres também foi subtraído da lista em razão de seu falecimento.

Leia mais sobre: DNIT

    Leia tudo sobre: dnit

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG