Senado decide votar mudanças no regimento para superar crise

BRASÍLIA - Após a apresentação do relatório em que ficou comprovada a existência de 663 atos secretos, os líderes partidários e a Mesa Diretora do Senado decidiram colocar em votação, na próxima semana, projeto de resolução com novas regras administrativas para o Senado, ente elas a sabatina, pelo plenário, dos novos diretores da Casa.

Agência Brasil |

Além disso, os líderes pediram a suspensão dos ex-diretores Agaciel Maia e João Carlos Zoghbi. Como a medidda não tem amparo legal, ficou estabelecido que Sarney pedirá aos dois que não venham ao Senado durante as investigações. A medida visa evitar que eles pressionem os servidores encarregados pela investigação.

Também ficou decidido que o Ministério Público Federal e o Tribunal de Conta da União vão, agora definitivamente, participar das investigações sobre os atos secretos. Na semana passada, o presidente Sarney havia anunciado o convite aos órgãos, mas não houve resposta.

Para o líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), as medidas não tiram o Senado da crise, mas amenizam a pressão sobre Sarney. "As medidas são um passo. Uma coisa é anunciar as medidas, outra é a implementação delas", disse o tucano.

Já o líder do PT, Aloizio Mercadante (SP), evitou falar em punição a senadores. "Vamos aguardar a conclusão das investigações para tomar as providências", afirmou. "Os responsáveis por esses atos devem ser punidos, sejam funcionários ou senadores", completou o petista.

Leia também:

Leia mais sobre: atos secretos

    Leia tudo sobre: ato secretosarneysenadosenadores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG