Senado custeia despesas da polícia do Distrito Federal; Tuma cobra explicações

O Senado cobra explicações da Polícia Militar do Distrito Federal sobre o uso do dinheiro de convênio entre as duas instituições entre 2004 e 2007.

Redação com Agência Brasil |


Segundo o corregedor do Senado, Romeu Tuma (PTB-SP), o responsável pela execução do acordo, no caso a PM, tem de prestar contas, especialmente depois da denúncia de que com o dinheiro foram compradas, inclusive, peças para helicópteros.

Nunca vi helicóptero pousando aqui, disse. A explicação devida é do executor do convênio, afirmou.

Reportagem publicada nesta quinta-feira no jornal "Folha de S.Paulo" mostra que durante o convênio, feito para garantir a segurança do Senado, foram repassados R$ 3 milhões à Polícia Militar do Distrito Federal, e a diretoria-geral do Senado teria cobrado a devolução de R$ 2,1 milhões desse total. Não haveria também a comprovação do uso da maior parte dos recursos.

A preocupação é que não haja desvio no gasto. E o convênio não foi renovado por difícil comprovação das despesas, completou.

Ao chegar ao Senado, o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), disse que iria tomar conhecimento da denúncia. A Polícia Militar do Distrito Federal disse que ficou sabendo das informações por meio da imprensa e ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Leia mais sobre Senado

    Leia tudo sobre: denúnciahelicópterossenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG