Senado cria 81 novos cargos sem concurso público e com salários de quase R$ 10 mil

BRASÍLIA - O presidente do Senado, senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), criticou o aumento de cerca de R$ 10 mil por mês para cada gabinete dos 81 senadores, concedido pela mesa diretora da Casa nesta quarta-feira. O senador disse ter sido ¿voto vencido¿. O impacto na folha salarial será de R$ 12 milhões anuais.

Sarah Barros, Último Segundo/Santafé Idéias |

O Senado não precisa criar mais cargos, pega mal, declarou demonstrando estar desconfortável com a medida. Ao todo, foram criados 97 novos cargos com remuneração de R$ 9.979,24 ¿ desses, 81 serão criados nos gabinetes de senadores, e os outros para os gabinetes de cargos de direção e de lideranças partidárias.

O aumento vai valer a partir de 1º de agosto. O presidente foi o único parlamentar da mesa contra o reajuste. A mesa diretora é composta por 11 senadores, e fora Garibaldi Alves, todos defenderam o aumento.

Segundo o diretor-geral do Senado, Agaciel Maia, o reajuste concedido foi motivado pelo aumento, em abril, da verba de gabinete dos deputados da Câmara, que passou de R$ 51 mil para R$ 60.  

A Mesa Diretora é composta por:

Presidente: Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN)
1º Vice-Presidente: Tião Viana (PT-AC)
2º Vice-Presidente: Alvaro Dias (PSDB-PR)
1º Secretário: Efraim Morais (DEM-PB)
2º Secretário: Gerson Camata (PMDB-ES)
3º Secretário: César Borges (DEM-BA)
4º Secretário: Magno Malta (PR-ES)

Suplentes: Papaléo Paes (PSDB-AP)
Antônio Carlos Valadares (PSB-SE)
João Vicente Claudino (PTB-PI)
Flexa Ribeiro (PSDB-PA)

    Leia tudo sobre: senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG