Senado aprova MP que amplia poderes do BC

BRASÍLIA - A MP 442, a primeira editada pelo governo para combater os efeitos da crise internacional e que dá poderes para o Banco Central (BC) adquirir carteiras de créditos de bancos com problemas de liquidez, foi aprovada ontem pelo Senado. Mas até o fechamento dessa edição, ela corria o risco de retornar à Câmara, porque o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) incluiu uma emenda obrigando que os registros de compras de veículos e motos sejam registrados também nos cartórios e não apenas nos Detrans estaduais, batizada de lobby dos cartórios.

Valor Online |

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), pediu votação nominal da matéria, alegando que ela traz mais gastos ao contribuinte. O destaque foi rejeitado por 34 a 11.

Em relação ao texto base da MP, nenhuma divergência. Os parlamentares entenderam que ela é importante para garantir a liquidez dos bancos nesses tempos de crise. Segundo o relator da medida provisória, senador Francisco Dornelles (PP-RJ), " é necessário conferir à autoridade monetária maior flexibilidade no emprego dos instrumentos disponíveis para efetuar o controle da oferta da moeda, da taxa de juros e da liquidez do mercado, de modo a estabilizar as expectativas e reduzir o impacto da crise mundial sobre a economia interna " .

Dornelles destacou no texto o bom momento vivido pela economia brasileira e citou dados do IBGE mostrando que, de 2002 para cá, o país cresceu de um patamar de crescimento de 2% para os atuais 5%. Crescimento que cairá pela metade em 2009, de acordo com estimativas do mercado, " com impactos ainda não mensurados no nível de emprego e na arrecadação dos tributos " .

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR), cobrou do governo a formação de um gabinete de crise para discutir a situação econômica internacional. Segundo o tucano, a oposição não é terrorista como pensa o governo e não tem medo de aprovar medidas para impedir o acirramento da crise. " Não queremos que essa crise, que não é uma marola e tem conseqüências imprevisíveis, atinja o país " , afirmou ele.

(Paulo de Tarso Lyra | Valor Econômico)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG