Senado aguardará Câmara para decidir sobre passagem aérea e verba indenizatória

BRASÍLIA - O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), aguardará a oficialização, pelo presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), das novas regras para a utilização de bilhetes de passagem aérea pelos parlamentares e da verba indenizatória, para decidir que rumo vai tomar. A informação é do 1º secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), que participou nesta tarde de uma reunião com Sarney e os líderes partidários.

Agência Brasil |

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP), que também esteve na reunião, disse mais cedo à Agência Brasil que o presidente do Senado anunciaria hoje novas regras para a utilização, pelos senadores, de passagens aéreas. Desta forma, o uso das passagens seria restrita aos parlamentares e assessores, em viagem a serviço, disse Suplicy.

Heráclito Fortes não confirmou a informação do colega petista. Estamos aguardando um posicionamento oficial da Câmara, afirmou o senador. Ele acrescentou, entretanto, que são grandes as chances de se acabar com a possibilidade de parentes de senadores serem beneficiados pelo uso de passagens da cota parlamentar.

O 1º secretário disse, ainda, que a decisão a ser tomada pela Câmara de acabar com a verba indenizatória e aumentar o salário dos deputados de R$ 16.500,00 para R$ 24.500,00 deve ser acompanhada pelo Senado. Se houver uma mudança salarial teremos que nos adequar, porque não pode ter um salário para a Câmara e outro para o Senado.

Tudo, entretanto, está em compasso de espera quanto à oficialização do anúncio a ser feito pelo presidente Michel Temer, alertou Heráclito Fortes. O fato, acrescentou, é que o Senado necessita de regras claras para a utilização das passagens aéreas e por conta disso não descartou mudanças a curto prazo. 

    Leia tudo sobre: senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG