Duzentas famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) estão se revezando em um acampamento provisório montado em frente à sede da Prefeitura de Embu, na Grande São Paulo. Os sem-teto afirmam que só sairão do local após o prefeito Geraldo Leite da Cruz, do PT, receber uma comissão representativa e assinar um documento que garante prazo de 45 dias para permanência das cerca de 600 famílias num terreno, batizado de Ocupação Silvério de Jesus.

O local foi invadido, no dia 28 de março deste ano, no Jardim Tomé, na divisa entre Embu e Cotia.

O movimento também exige da Prefeitura a alteração do zoneamento do terreno de Zona Industrial(ZI) para Zona Especial de Interesse Social (ZEIS), mediante envio de projeto para a Câmara Municipal. Ontem, parte das famílias realizou uma passeata até a frente da Prefeitura.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.