Sem-terra tentam invadir cartório eleitoral em AL

Trabalhadores rurais sem-terra e cabos eleitorais do candidato Plínio Batista Filho (PSL) tentaram invadir hoje o Cartório Eleitoral da Comarca de Murici, a 59 quilômetros de Maceió, Alagoas. Segundo o promotor de Justiça Napoleão Calheiros, os manifestantes cercaram o prédio do cartório e forçaram a entrada dos fundos e da frente.

Agência Estado |

"Só não entraram porque a polícia foi chamada e conteve os manifestantes", disse o promotor, acrescentando que eles protestam contra a presença da Guarda Municipal dentro do Cartório, tomando conta das urnas.

"O chefe do cartório recebeu ordem da juíza para permitir que os guardas municipais ajudassem na segurança do prédio, mas não era para eles ficarem dentro do prédio, onde estão as urnas. Até porque a Guarda Municipal é ligada à prefeitura, cujo prefeito é candidato à reeleição, numa disputa polarizada, onde os ânimos estão acirrados de ambos os lados", disse o promotor, em referência ao candidato à reeleição Renan Filho, da coligação "Murici, Progresso e Trabalho" (PTB-PSDB-PMDB-PMN-PPS), que concorre com Plínio, da "O Povo de Murici nos Uniu" (PTC-PSL-PRB-PT).

O promotor de Justiça afirmou que, por conta desse mal-entendido, as urnas foram transferidas para o prédio do Fórum, com a ajuda dos soldados da Polícia Militar (PM). Ao todo, no Cartório Eleitoral tinham 122 urnas, sendo 61 de Murici (sete de contingência), 36 de Messias e 25 de Branquinha, municípios vizinhos, que fazem parte da mesma Comarca.

Segundo Calheiros, as urnas estão lacradas e encaixadas, mesmo assim vão passar pela fiscalização dos partidos de oposição e da situação para evitar suspeitas. "Como houve o questionamento sobre a presença da Guarda Municipal no local onde estavam guardadas as urnas, eu autorizei essa fiscalização para evitar problemas futuros."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG