Manifestantes ligados ao Movimento dos Sem-Terra (MST) e outros movimentos resistiram hoje ao cumprimento judicial de reintegração de posse e mantiveram a invasão à sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Belo Horizonte. O prédio foi ocupado ontem de manhã e à noite o juiz da 3ª Vara Federal, Ricardo Machado Rabelo, expediu mandado de desocupação.

Hoje, por volta de 8h30, um oficial de Justiça esteve no local e entregou o mandado aos líderes da ocupação, que decidiram resistir. O clima ficou tenso e policiais militares cercaram o prédio. Os invasores viraram a carcaça de um automóvel do órgão e montaram uma barricada no estacionamento. Eles também espalharam extintores em frente ao portão.

"O Incra daqui tratou trabalhadores como caso de polícia", reclamou Daiana Machado, do MST. A situação se acalmou depois que os movimentos receberam a promessa de que o vice-presidente do Incra, Roberto Kiel, viajaria até a capital mineira para se reunir amanhã com os manifestantes. O efetivo da PM foi desmobilizado. No final da tarde, policiais voltaram ao local para averiguar uma suposta denúncia de cárcere privado dentro do órgão. Os manifestantes negaram a suspeita, mas não permitiram a entrada dos PMs.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.