Sem-terra interditam pista da Dutra, no Rio

SÃO PAULO - A Rodovia Presidente Dutra, no trecho do Rio, ficou interditada na manhã desta quarta-feira durante uma manifestação de cerca de 150 integrantes do Movimento Sem Terra (MST). O protesto ocupou um trecho no quilômetro 242, sentido São Paulo. A quarta-feira foi marcada por manifestações do movimento. Além do Rio, Brasília e Rio Grande do Sul foram palco de protestos.

Redação com Agência Estado |

Segundo informações da concessionária NovaDutra, por volta das 9h30 a pista sentido São Paulo, na altura do km 242, na região de Piraí, foi bloqueada com lixo, pneus e madeira. O trânsito foi liberado às 10h17.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o protesto causou paralisação de 5 km do tráfego, mas a pista já foi liberada. O motivo da manifestação, segundo manifestantes, foi denunciar a lentidão da Reforma Agrária.

Porto Alegre

Cerca de 300 integrantes do MST tomaram o pátio da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento (Seappa) nesta quarta-feira em Porto Alegre.

Os servidores não puderam entrar no prédio, que foi cercado. O governo estadual informou que vai dar entrada na Justiça a uma ação de reintegração de posse.

O pátio da Receita Federal também foi ocupado pelo MST. Os invasores chegaram ao local em oito ônibus e estão impedindo o acesso dos funcionários.

O movimento reivindica o assentamento de mil famílias, conforme prometido em acordo feito com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), no fim do ano passado, e também infra-estrutura nos assentamentos.

Brasília

O MST nacional e do entorno de Brasília e o Movimento de Apoio ao Trabalhador Rural ocuparam por volta das 5 horas desta quarta-feira o edifício-sede da Caixa Econômica Federal, em Brasília. São cerca de 300 pessoas, nos cálculos da Polícia Federal; mil manifestantes, para o MST.

Os sem-terra querem o cumprimento de acordo feito entre o Incra e a Caixa Econômica Federal para a construção de 31 mil moradias em assentamentos do MST.

No momento da invasão houve resistência por parte de um segurança, que chegou a puxar uma arma contra os invasores. Ele foi imobilizado. Os sem-terra ocupam todo o saguão do prédio, impedindo o acesso de funcionários, que aguardam do lado de fora. Os manifestantes querem uma audiência com o ministro das Cidades, Márcio Fortes, e com a presidente da Caixa, Maria Fernanda Coelho.

Leia também:

Leia mais sobre o MST

    Leia tudo sobre: mst

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG