Semana será crítica para destino de Sarney

BRASÍLIA (Reuters) - O destino do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), estará no foco do cenário político na próxima semana. Nos últimos dias, ele enfrentou pressões para deixar o cargo por parte senadores, mas recebe a defesa de correligionários. Sua permanência depende basicamente da continuidade do apoio de seu partido, o PMDB, principalmente do líder Renan Calheiros (AL), e também do DEM, que lhe dá sustentação. Mandar investigar a enxurrada de denúncias, tomar medidas moralizadoras e, ao mesmo tempo, manter os aliados por perto são as principais desafios de Sarney.

Reuters |

O PSOL deve entrar com representação contra Sarney por falta de decoro no Conselho de Ética, que no limite pode levar à sua cassação.

O partido também está colhendo assinaturas para a criação de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar os 663 atos secretos editados nos últimos 14 anos, dos quais Sarney é o responsável formal por ser o atual presidente da Casa.

Na semana, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva viaja para a Líbia onde participa na quarta-feira da abertura da 13a Assembléia da União Africana.

Lula pretende reafirmar o compromisso brasileiro com as 21 nações da instituição africana e reiterar a mensagem sobre as vantagens da produção e consumo dos biocombustíveis para a região.

Veja os principais fatos políticos da próxima semana.

SEGUNDA-FEIRA

-- Em Brasília, Lula faz reunião de coordenação. Depois, tem encontro com governadores do nordeste e audiências com os ministros Paulo Bernardo (Planejamento) e Carlos Lupi (Trabalho). À noite, parte para Líbia.

-- O governo vai anunciar novas medidas anticíclicas para os setores de construção civil e máquinas e equipamentos

TERÇA-FEIRA

-- Os senadores devem retomar as discussões para a instalação da CPI da Petrobras, conforme acordo feito há dez dias. Com os escândalos no Senado, o início dos trabalhos da CPI, requisitada pela oposição, está sendo adiado.

-- À tarde, Lula chega a Trípoli, capital da Líbia.

QUARTA-FEIRA

-- Lula parte para a cidade de Sirte onde participa da cerimônia de abertura da Assembléia da União Africana em que estarão o presidente da Comissão da União Africana e chanceler do Gabão, Jean Ping, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e o secretário-geral da Liga dos Estados Árabes, Amr Moussa.

Em seguida, dá coletiva de imprensa junto aos chefes de Estado e de governo, seguida de assinatura de atos entre Brasília e a Comissão da União Africana. No início da tarde, o presidente Lula participa de almoço oficial e depois retorna a Brasília.

-- O PSOL deve entrar com representação no Conselho de Ética contra Sarney por falta de decoro, que no limite pode levar a sua cassação.

SEXTA-FEIRA

-- Lula sanciona o projeto de lei que dispõe sobre a residência de estrangeiros em situação irregular no Brasil. À tarde, participa de apresentação de credenciais de novos embaixadores. Terá várias audiências separadas com ministros.

(Reportagem de Ana Paula Paiva e Carmen Munari; Edição de Natuza Nery)

    Leia tudo sobre: sarney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG