Sem presença de deputados, LDO fica para próxima semana

BRASÍLIA - A votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que deveria acontecer nesta quinta-feira, ficou para a próxima semana. A sessão de votação foi suspensa por falta de quorum dos deputados, visto que para a apreciação da matéria é necessário a presença deles e dos senadores. O articulador da derrubada da sessão foi o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP).

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

O petista temia que, com a votação da LDO, nesta quinta, os parlamentares não mais retornariam ao Congresso e as últimas votações que podem ocorrer antes do recesso, que começa em 18 de julho, ficariam prejudicadas.

Além da articulação de Chinaglia, outros dois pontos prejudicaram a votação da LDO, mas foram rapidamente sanados pelos congressistas. Um deles diz respeito à aprovação do projeto de Lei que libera R$ 85 milhões para o Rio de Janeiro para investir em sua campanha para sediar as olimpíadas de 2016.

O outro foi o fato da relatora da LDO, senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), ter incluído as estatais no dispositivo que permite o governo a executar 1/12 avos do orçamento de 2009 a cada mês caso o mesmo não seja aprovado até o final de 2008.

Em relação ao Rio, o deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ) ameaçou pedir verificação de quorum caso a LDO entrasse em votação, o que tornaria clara a ausência dos deputados e derrubaria a sessão. Assim, os líderes concordaram de aprovar o projeto de recursos para o Rio na próxima semana, antes da LDO.

Quanto às estatais, um acordo também foi fechado, e as empresas serão retiradas do dispositivo que autoriza gastos no caso do Orçamento Geral da União não ser aprovado. Com a suspensão da sessão que votaria a LDO a matéria deve ser apreciada na próxima terça, às 19h.

    Leia tudo sobre: ldo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG