Sem Ministério Público e TCU, investigação não teria credibilidade, diz Cristovam

BRASÍLIA - O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) disse nesta sexta-feira ser positivo o fato do presidente José Sarney (PMDB-AP) ter autorizado a participação do Ministério Público (MP) e do Tribunal de Contas da União (TCU) na sindicância interna aberta para investigar quem são os responsáveis pelos atos secretos do Senado. De acordo com ele, caso ¿terceiros¿ não participassem da equipe não existiria credibilidade na apuração.

Severino Motta, repórter em Brasília |

Apesar de não saber quais foram as ações tomadas por Sarney, uma vez que não ouviu nem leu sobre o discurso do presidente nesta manhã, após ser informado por jornalistas do conteúdo Cristovam destacou: [Sem TCU e MP] Não haveria credibilidade, nós 81 estamos sob suspeição.

O senador ainda fez um meaculpa ao dizer que os parlamentares nunca deram a devida importância à administração do Senado, e que por isso não seria de todo impossível ação dos diretores sem o conhecimento dos congressistas.

Acreditar [que um diretor agiu sem o conhecimento do senador] eu até acredito. Mas não tenho certeza. Mas não acho que há servidor capaz de fazer tudo sem o conhecimento dos senadores, ponderou.

Sobre uma eventual punição para o responsável pela publicação dos atos administrativos do Senado, Franklin Landim, que alegou ter deixado de publicar documentos a pedido do ex-diretor-geral da Casa, Agaciel Maia, Cristovam disse que o tema exige reflexão.

Temos que analisar as margens que ele tinha para não cumprir a determinação do diretor. Já existiu caso nesta Casa de uma servidora ter quebrado o segredo do painel eletrônico a pedido de senador, e ela foi punida.

    Leia tudo sobre: investigaçãosenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG