Sem acordo, Senado adia decisão sobre secretaria para esta quarta-feira

BRASÍLIA - As lideranças do Senado Federal decidiram adiar para quarta-feira a eleição do quarto-secretário da Mesa Diretora. A bancada do PDT, que tem cinco senadores, possui o direito a indicar um nome para a quarta secretaria, porém, o senador José Sarney (PMDB-AP) já fez um acordo com o PR (bancada com três senadores) por esta vaga, em troca do apoio do partido para elegê-lo presidente do Senado.

Carollina Andrade e Carol Pires - Santafé Idéias |

Segundo o senador Expedito Júnior (PR-RO), como não houve acordo, a decisão irá para o plenário. Não houve promessa, nem acordo. Estamos reivindicando o que temos direito. Não vamos abrir mão. Se é um direito do partido, tem que ser cumprido. Agora, se perdermos, vamos para casa e, se eles perderem, eles que vão, disse.

O argumento da bancada do PR para concorrer à vaga é de que, no dia da posse, o PDT tinha quatro senadores e, posteriormente, a senadora Patrícia Saboya se filiou ao partido. O PR questiona esse número, pois diz que o PDT não tem o direito de escolher o cargo, pois ficou com mais senadores somente após a posse e o que teria validade é o número de senadores antes da posse.

O PR, por sua vez, também tinha quatro senadores no dia da posse, mas um deles, Alfredo Nascimento, foi indicado para o ministério dos Transportes.

Acordo

Osmar Dias (PR), líder do PDT, informou que dará um voto de confiança para o presidente José Sarney e para as lideranças do Senado. Tenho certeza que o regimento não será desrespeitado. O senador Sarney disse anteriormente ao cumprimento do regimento. Por isso, darei este voto, sublinhou.

Se houve acordo com a vaga do PDT, eu não sei. Para mim, acordo que é feito sem a minha participação, não é acordo. Não estamos pedindo nada, estamos exigindo o que é nosso de direito. Eu vou até o fim, disse o líder pedetista, sem descartar a possibilidade de acionar a Justiça para mediar o assunto.

Na tarde desta terça, os senadores se reúnem em plenário para eleger os novos vice-presidente, segundo-vice-presidente e três secretários para compor a Mesa Diretora do Senado. Marconi Perillo (PSDB-GO) deve ficar como vice-presidente e Serys Slhessarenko (PT-MT) com a segunda-vice presidência. Heráclito Fortes (DEM-PI) deve ficar com a primeira-secretaria, uma espécie de prefeitura do Senado, responsável pela contratação de obras e licitações. A segunda secretaria ficará com Mão Santa (PI), senador do PMDB, e a terceira com João Vicente Claudino (PI), do PTB.

Leia mais sobre: Senado

    Leia tudo sobre: senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG