Sem acordo na Justiça, greve dos Correios continua

BRASÍLIA - A reunião de conciliação entre Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e seus funcionários, mediada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), não terminou em acordo. O ministro Rider de Brito, presidente do TST, pediu que a greve fosse parada até a próxima terça-feira, às 9h, quando aconteceria uma nova reunião de conciliação. O Sindicato não concordou e continua com a greve iniciada no dia 1º de julho.

Redação |


Segundo Alzira Coutinho, assessora do Sindicato dos funcionários dos Correios, na reunião a empresa disse que não muda nada e, por isto, a greve continua.

Os funcionários em greve seguem, neste momento, para uma passeata para o Ministério das Comunicações. Nas proximidades do ministério uma nova assembléia deve ser feita às 16h para decidir os rumos da paralisação e oficializar a continuidade da greve.

A ECT informou, através de sua assessoria de imprensa, que divulgará uma nota sobre o assunto nas próximas horas.

Já o ministro Rider de Brito disse que se sua proposta não for aceita, no próximo dia 15 ele vai designar um relator para que seja julgado pelo tribunal o pedido de abusividade da greve.

Os funcionários querem o pagamento de adicional de risco aos carteiros; participação nos lucros da empresa e participar da elaboração do Plano de Cargos e Salários.

(Com informações da Agência Estado)

Leia também:


Leia mais sobre: greve dos Correios

    Leia tudo sobre: greve dos correios

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG