dez pessoas realizaram uma manifestação contra Gilmar Mendes em frente ao prédio principal da alta corte. " / dez pessoas realizaram uma manifestação contra Gilmar Mendes em frente ao prédio principal da alta corte. " /

Seis ministros do Supremo trabalham para Gilmar Mendes

BRASÍLIA - O site do Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), uma escola de direito cujo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, é um dos proprietários, mostra que pelo menos seis outros ministros do Supremo fazem parte do corpo docente da instituição. O fato de seis magistrados trabalharem para o presidente do Supremo voltou à tona nesta sexta-feira, quando http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/04/24/ex+alunos+da+unb+protestam+contra+atuacao+de+gilmar+mendes+na+presidencia+do+supremo+5722998.htmldez pessoas realizaram uma manifestação contra Gilmar Mendes em frente ao prédio principal da alta corte.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Procurada para saber que tipo de serviços são prestados pelos ministros e quanto eles recebem do IDP, a assessoria de imprensa da instituição não soube responder. Os ministros listados no site da escola de direito são: Eros Grau, Marco Aurélio Mello, Carlos Ayres Britto, Carlos Alberto Menezes Direito, Cármen Lúcia Antunes Rocha e Cezar Peluso.

Durante uma manifestação na porta do Supremo, os manifestantes taxaram como absurdo o fato de ministros trabalharem para a escola de Mendes. Um deles, João Francisco Araújo Maria, que é professor de Ciência Política, disse que um movimento nacional está sendo organizado para protestar contra uma suposta vocação autoritária de Gilmar Mendes.

Ele e os outro nove manifestantes distribuíram um documento pedindo que Mendes saia às ruas e não volte para o STF. No texto eles ainda se solidarizam com o ministro Joaquim Barbosa, que na última quarta-feira disse que Mendes está na mídia destruindo a credibilidade do judiciário.

Esse é um sentimento que está em toda a população brasileira, Joaquim Barbosa só expressou esse sentimento, disse.

IDP

A assessoria de imprensa do ministro Gilmar Mendes disse que Lei Orgânica da Magistratura autoriza juízes a darem aulas e que o IDP conta não só com ministros do Supremo, mas quase todas as cortes do País. Lembrou ainda que os magistrados dão aulas também em outras instituições e que a prática faz parte da cultura jurídica.

O advogado aprende com o juiz, o juiz com o desembargador. É algo legítimo, legal e é assim que funciona, afirmou a assessoria.

Assista ao trecho da sessão tensa de quarta-feira

Leia também:

Leia mais sobre: STF

    Leia tudo sobre: gilmar mendesstf

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG