Ao contrário do que ocorreu na votação de domingo, os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiram hoje que não será necessário convocar as tropas federais para reforçar a segurança do segundo turno da eleição municipal no Rio de Janeiro. O presidente do TSE, Carlos Ayres Britto, disse que chegou à conclusão de que não é necessário convocar as forças federais depois de ter conversado com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, com o governador do Rio, Sérgio Cabral, com o almirante responsável pelas tropas, Prado Maia, e com o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio, Alberto Motta Moraes.

No domingo, Ayres Britto tinha dito que a atuação das tropas no Rio poderia ser prorrogada até o segundo turno. No entanto, hoje ele afirmou que analisou melhor o quadro e verificou que, como no segundo turno somente será escolhido prefeito, não é necessário convocar as tropas.
Mas, se até o segundo turno for verificada a necessidade de reforço na segurança, o ministro observou que a força federal poderá ser novamente convocada. "Ficaremos todos de sobreaviso, em estado de alerta e a qualquer momento, se houver necessidade, uma nova decisão poderá ser tomada", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.