Segredos por trás da cerimônia de abertura dos JO de Pequim-2008

Depois da aclamação mundial da grandiosa cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim de sexta-feira, começam a surgir detalhes muito menos glamourosos como o da menina cantora que apenas fez playback e as imagens editadas de fogos de artifício.

AFP |

Ninguém poderá negar que o espetáculo criado por Zhang Yimou para dar as boas-vindas aos Jogos chineses, desmesurado e mágico, foi excepcional.

Mas aos poucos começam a ser descobertos pequenos segredos, que poderão desbotar um pouco mais a imagem da China.

O diretor musical da cerimônia acaba de admitir que a menina que supostamente entoou a "Ode à Pátria" na realidade cantava em 'playback' porque a verdadeira intérprete não era bonita o bastante para representar seu país para o mundo.

"Queríamos transmitir uma imagem perfeita e pensamos no que seria melhor para a nação", declarou Chen Qigang em uma entrevista concedida à televisão chinesa, apresentada também pelo portal Sina.com.

Nesta terça-feira de manhã, a imprensa chinesa exibia fotografias de Lin Miaoke, de nove anos, como uma "estrela em ascensão". Mas não emitia uma palavra sobre Yang Peiyi, uma criança acima do peso, de 7 anos, com os dentes imperfeitos, mas com grande voz.

"Era uma questão de interesse nacional. A menina tinha que aparecer diante das câmeras, tinha que ser expressiva", justificava Chen, famoso compositor chinês. "Lin Miaoke é excelente para tudo isso. Mas a voz Yang Peiyi é perfeita. Toda a equipe estava de acordo", acrescentou o diretor musical.

Chen afirmou que a decisão final para que Lin cantasse em 'playback' foi tomada após um ensaio assistido por um dos principais dirigentes do Partido Comunista Chinês (PCC).

"Nos disseram que havia um problema e que era preciso resolvê-lo. E o resolvemos", declarou o músico sem dar maiores detalhes sobre essa ordem nem o nome de quem a deu.

Miaoke se apresentou na sexta-feira à noite durante a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim diante das 91.000 pessoas que lotaram o estádio 'Ninho do Pássaro' da capital chinesa e para os bilhões de telespectadores de todo o mundo.

Alguns jornais destacaram outra polêmica suscitada pela cerimônia, cujos ensaios já haviam apresentado diversos problemas que a imprensa chinesa não mencionou.

Os organizadores tiveram de admitir que a transmissão de TV da cerimônia incluía algumas imagens de fogos de artifício gravadas de antemão e editadas.

A cerimônia começava com uma cena espetacular na qual surgiam em pleno céu anéis gigantescos com fogos cruzados que, na teoria, eram filmados ao vivo de um helicóptero.

Embora os fogos de artifício tenham sido disparados, na realidade não eram visíveis devido à fumaça que tomava conta da capital chinesa.

"Pode ser que tenham sido usadas imagens gravadas com antecedência devido à má visibilidade", admitiu o vice-presidente do Comitê Organizador de Pequim-2008, Wang Wei.

Segundo o diário Beijing Times, as imagens foram editadas graças ao caro trabalho de uma empresa de tecnologia especializada que simulou os movimentos do helicóptero.

bur-/dm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG