Sedativo de uso cirúrgico foi achado na casa de Michael, diz site

Los Angeles (EUA), 1º jul (EFE).- Um potente sedativo, geralmente usado como anestesia em cirurgias, foi encontrado na casa do cantor americano Michael Jackson, que morreu na última quinta-feira, aos 50 anos, informou hoje o site TMZ.

EFE |

com", especializado em celebridades.

Segundo a página, o sedativo achado é o Propofol, só acessível a médicos e administrado por via intravenosa. "É inconcebível que este medicamento tenha sido prescrito corretamente para seu uso doméstico", afirmou uma fonte ao "TMZ.com".

O site diz que, se combinado com certos analgésicos ou empregado em doses elevadas, o Propofol pode provocar parada cardíaca.

A suspeita do uso indevido de Propofol como causa da morte de Michael também foi alimentada nas últimas horas por uma enfermeira que trabalhou para o cantor.

Segundo Cherilyn Lee, Michael tinha insônia e, mesmo sabendo dos efeitos colaterais do medicamento, pediu que ela lhe arranjasse Propofol, comercialmente conhecido como Diprivan.

"Disse que essa medicação não era segura", declarou Lee à rede de TV "CNN", à qual disse ter conhecido o músico em janeiro, quando cuidou de um resfriado dos filhos do artista.

A enfermeira se recusou a atender aos pedidos de Michael e informou-o das consequências do uso do sedativo.

"Ele me disse: 'Só quero dormir. Você não entende. Só quero ficar bem e ir dormir'", contou a profissional, que disse ter dado a seguinte resposta ao cantor: "Se você tomar pode não acordar".

Até agora não foi possível confirmar se Lee trabalhou mesmo com Michael, algo de que Londell McMillan, advogado da família Jackson, desconfia.

"Pergunto por que alguém faria um comentário sobre medicamentos quando ninguém viu ele tomando-os ou alguém administrando-os", disse. EFE mg/sc

    Leia tudo sobre: a

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG