O secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, disse ontem que a disputa pelos pontos de vendas de droga no Morro dos Macacos é um ato de desespero dos traficantes cariocas.

    "Eles estão desesperados por causa da perda de espaço, da perda financeira", afirmou, repetindo discurso recorrente entre as autoridades do Estado após situações semelhantes.

    Questionado sobre a possibilidade de confrontos semelhantes durante a Copa do Mundo de 2014 ou a Olimpíada de 2016, disse apenas que "não vai acontecer", sem maiores detalhes de como poderá evitar a ação dos bandidos.

    Segundo ele, as ações da área de segurança do Rio têm limitado o poder de ação dos traficantes, seja pela desarticulação de quadrilhas e arsenais, seja pela instalação de unidades de polícia pacificadora em comunidades que eram dominadas pelo tráfico. Até agora, cinco favelas foram ocupadas: Cidade de Deus, Batan, Dona Marta, Babilônia e Chapéu Mangueira.

    Beltrame afirmou que a estratégia de combate ao tráfico será mantida com base nesses dois pilares: combate a grupos criminosos e ocupação de comunidades. Ele não respondeu, porém, se existe a possibilidade de ocupação permanente do Morro dos Macacos, que ontem à tarde já estaria sob o controle da Polícia Militar.

    Futura Press Helicóptero cai em campo de futebol após ser atingido por tiros

    Com isso, o tiroteio arrefeceu, mas o clima continuou tenso em Vila Isabel, esvaziando os bares à noite. Só com cápsulas deflagradas recolhidas no local, policiais encheram uma mochila.

    A secretaria de segurança lança no próximo mês licitação para comprar um helicóptero blindado para a PM, com recursos do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci). A Polícia Civil já tem uma aeronave blindada.

    Leia mais sobre Rio de Janeiro

      Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.