Secretário de Educação do DF nega ter recebido R$ 60 mil

O secretário de Educação do Distrito Federal, José Luiz Valente, negou à reportagem do iG ter recebido R$ 60 mil do esquema investigado pela Polícia Federal na Operação Pandora.

Erika Klingl, iG Brasília |

Pelo inquérito, José Luiz Vieira Valente teria recebido o dinheiro da empresa Infoeducacional. A Infoeducacional foi contratada, com licitação, para o programa de português e matemática nas escolas, cita. Sobre o dinheiro, ele disse: só seu eu fosse idiota. E eu não sou.

Gravação realizada em 21 outubro de 2008 pelo secretário de Relações Institucionais do governo do Distrito Federal, Durval Barbosa, revela o repasse de R$ 400 mil ao governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda.

De acordo com a investigação da Polícia Federal, Durval declara que, além dos R$ 400 mil, "outros R$ 200 mil terão aquele destino". Ainda segundo o inquérito, o dinheiro seria "dissipado em diversos pagamentos menores para pessoas ainda não identificadas".

Além de Valente, Durval acusou no depoimento, Domingos Lamoglia, conselheiro do Tribunal de Contas do DF, apontado como um dos operadores do esquema; e Gilberto Lucena, um dos proprietários da Linknet, que, segundo a investigação, encaminhou R$ 34 mil a Durval. Segundo a PF, as empresas Infoeducacional, Vertax, Adler e Linknet, que prestam serviços ao Governo do Distrito Federal, também participam do repasse ao "esquema crimminoso" dos R$ 600 mil rastreados pela polícia.

Leia também:

    Leia tudo sobre: polícia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG